A defesa do Patriots não tem empatia com ninguém

Entra ano, sai ano. você pode pensar que dessa vez o roster deles não está tão bom, tem uma deficiência nessa ou aquela posição, que o Brady tá velho e finalmente vai regredir. Mas no final das contas nada disso importa ou faz diferença para o Patriots.

O que faz diferença é que ninguém no planeta entende mais de Futebol Americano que o Bill Belichick. Talvez a diferença entre o Bill e o segundo colocado é grande demais pra ser medida. Os Patriots estão invictos, e dessa vez a defesa é o destaque.

O Patriots não tem uma DL de elite. O grupo de LBs e o de DBs é bom mas é quase o mesmo dos últimos anos. Nada esquematicamente é muito diferente de antes, com exceção a ênfase na blitz de cover 0, o que não é exatamente uma novidade nesse defesa. A execução de seus esquemas é que parece ser mais impecável como nunca.

 

Mais que “o quê”, é “como”

A defesa do Patriots tem basicamente os mesmos princípios há anos.Dentre eles estão:

Cover 1 é a “melhor defesa que tem”, segundo Nick Saban, HC de Alabama e amigo do Bill Belichick. E de fato, se você tem uma secundária boa e disciplinada pra executar a cobertura, o ataque aéreo é sufocado.

O Patriots mostra frequentemente o alinhamento padrão de uma cobertura Cover 1

 

Nessa jogada é mostrada uma maneira corriqueira de como ataques atacam a Cover 1. Uma rota Fade de um WR em plus split contra um alinhamento Press. É um potencial 1×1 que pode resultar em um grande avanço. Mas aqui o CB #27 consegue se manter em posição para defender o passe enquanto o Safety #32 chegava para dar apoio. Bela de jogada do CB , que nem é titular. Repare que ele se mantém “quadrado” até o WR definir seu release, impedindo assim que ele ganhe separação.

 

Quando o CB está em um alinhamento Off, outra forma que ataques gostam de atacar esse alinhamento é com rotas curtas como o Slant. Especialmente quando a defesa vai com blitz e o CB está em Off, ele precisa executar a técnica flat-foot read contra esse tipo de rota. É o que o CB #24 Stephon Gilmore faz aqui, antecipando o passe e quase interceptando.

 

A defesa ainda faz um trabalho perfeito em disfarçar suas coberturas. Aqui temos a defesa mostrando Cover 0 antes dos snap, inclusive com alguns DBs perto da LOS mostrando blitz. Depois dos snap o Safety #21 faz um drop profundo e o Safety #32 faz um drop pra zona média, mostrando assim um Cover 1 ortodoxo com apenas 4 no pass rush. Josh Allen demora pra fazer o passe e acaba sackado.

 

O Patriots em uma alinhamento padrão de Cover 1 e seguindo o motion, dando a entender cobertura mano a mano

Agora, a próxima jogada é o disfarce de cobertura mais díficil de executar. O Patriots mostra um alinhamento de Cover 1 antes do snap, inclusive com um CB seguindo o motion do WR, o que dá indicação ao QB que é cobertura mano a mano.

Só que mesmo seguindo o motion, o Patriots faz um drop para cobertura Cover 2 com apenas 3 no pass rush.

Mas apesar do alinhamento, fazem o drop para uma cobertura Cover 2, praticamente um Tampa 2

Isso é quase maldade com um QB inexperiente como o Josh Allen. Depois do snap não tem nenhuma rota remotamente livre para ele fazer o passe. Apesar disso ele consegue a primeira descida com atleticismo puro, correndo para o 1st down. Veja tudo isso no vídeo abaixo.

 

Se o Patriots é praticamente impecável no Back 7, o mesmo não se pode dizer para o Front 7. Nesse caso o adjetivo é outro. É traiçoeiro.

 

Por causa de judiamento de linha ofensiva

O Patriots não tem um jogador de DL como Myles Garret, Khalil Mack, Aaron Donald ou JJ Watt. Mesmo assim eles sempre parecem ter pelo menos 1 jogador livre pronto pra sackar o QB.

Isso por que eles inventaram uma nova maneira de se fazer blitz (Não sei se inventaram ou não na verdade, mas nunca soube de nada igual). Eles já usaram essa blitz no jogo contra o Chiefs na temporada passada, o que limitou a performance de Patrick Mahomes.

A cada snap que o Patriots chama esse tipo de blitz ou o que quer que seja, ele está decidido em superar o número jogadores protegendo para o passe com sempre um pass rusher a mais, tendo então sempre alguém livre para sackar o QB.

Falando assim parece simples. Parece ser uma coisa que qualquer um pode fazer. Mas o que realmente faz a diferença, novamente, é o “como”.

O Patriots não tem apenas um esquema de superar numéricamente as proteções. Pra falar a verdade, eles nem “superam o número” na prática porque nem todos fazem o rush até o fim.

Dependendo da formação ofensiva e do esquema de proteção de passe da OL, a blitz do Patriots pode mudar completamente. Um jogador que iria pra blitz vai fazer um drop pra tentar defletir qualquer passe rápido. É o que acontece nessa jogada. Perceba que o Steelers tem 5 jogadores na proteção de passe, e o Patriots manda 6 no rush. O QB tem um passe rápido pronto pra combater a blitz, mas o LB #55 percebe isso e dropa para defletir o passe.

 

Acontece a mesma coisa nessa jogada. O Bills tem só a OL na proteção de passe, enquanto o Patriots mostra 6 na blitz, e perceba mais uma vez que só o fato de mostrar blitz por um momento é suficiente para que tenha um rusher com livre caminho para o QB. Note também que todo lado esquerdo da DL do Patriots faz um drop pra antecipar um passe curto. Isso porque tinha um WR #11 correndo uma rota Drive exatamente nesse lado. O passe acaba defletido pelo NT, mas poderia ser defletido pelos DLs que fizeram o drop.

 

Um ataque pode tentar colocar 7 jogadores na proteção de passe. O Patriots vai mostrar 8 na blitz. Repare aqui no que acontece do lado direito da OL. O RT #70 parece encarregado de proteger contra uma blitz do LB #53. Mas esse LB acaba não “indo pra blitz” em um primeiro momento.Isso faz com que o RT passe a ajudar o RB no bloqueio contra o Safety #32. Nesse momento, o LB #53 volta pra blitz e acaba sackando Josh Allen.

 

Esse tipo de blitz coloca uma pressão enorme no ataque para escolherem o esquema de proteção de passe ideal. A questão não é nem impedir que tenha um rusher livre de bloqueio: Pelo jeito que o Patriots executa a blitz, sempre vai ter. O objetivo é garantir que o resto dos rushers seja bem bloqueados a tempo para que o QB conseguir fazer um passe rápido para uma hot route de algum recebedor.

Não é o que acontece nesse jogada. O Patriots acaba com 2 rushers livres de bloqueio atacando o QB, que não tem tempo de fazer o passe.

 

Qual seria o antídoto para essa blitz afinal? Bom, quando uma defesa se compromete a enviar esse número de rushers, você tem 2 opções: Na mais fácil você sinaliza uma hot route, podendo até ser um screen, pra um recebedor e faz uma passe rápido. O grande desafio dessa opção é arquitetar tudo perfeitamente antes dos snap. A segunda é ir com 7 jogadores protegendo pro passe, segurar a proteção tempo o suficiente para atacar a cobertura Cover 0 com uma rota Post onde ela é fraca: na profundidade no campo. Brett Kollman descreve muito bem esse tipo de blitz e a forma como se deve atacá-la nesse vídeo: