Prévia tática do Super Bowl 54: Chiefs vs 49ers (e um palpite)

 

O Super Bowl 54 chegou e a boa notícia é que ele tem tudo pra ser melhor que o Super Bowl 53. É um jogo que não tem favorito e vai ser orquestrado pelas mentes ofensivas mais influentes da NFL atual: Kyle Shanahan e Andy Reid. Esse é o jogo da vida desses dois técnicos.

Essa prévia vai passar pela situação geral da equipe no ano e mostrar abordagens táticas que poderão ser vistas no Super Bowl.

 

Como o Chiefs chega no Super Bowl

O Chiefs começou a temporada como favorito ao título da AFC. No final da última temporada, trocou de coordenador defensivo afim melhorar a defesa que era irregular. Perdeu Kareem Hunt, o que prejudicou o jogo corrido, mas adicionou mais armas ofensivas como Mecole Hardman. Mesmo com a lesão de Patrick Mahomes, o elenco do Chiefs se mostrou forte o suficiente para manter a briga pelo Seed 2. Com a volta dele, Chiefs acabou no lugar onde era esperado antes da temporada: O Super Bowl.

A defesa

O Chiefs finalmente demitiu o coordenador Bob Sutton depois de 6 temporadas ao perder a final da AFC para o Patriots. Sutton usava uma defesa 3-4 que era extremamente irregular no back 7. A equipe então contratou Steve Spagnuolo, que usa defesa 4-3, para tentar tornar a defesa ser mais consistente. Pode-se dizer que a defesa melhorou e isso se deve a nova filosofia que o coordenador trouxe pra defesa.

As defesas de Spagnuolo tem como características, além uso de fronts tradicionais do 4-3, os esquemas de Man-Blitz em situações de passe.

Nessa jogada contra o Titas, o Chiefs vai de Man-Blitz numa 3ª descida com um Box coverage no lado esquerdo da jogada, e acaba pressionando Ryan Tanehill.

 

Durante o jogo, eles  usam majoritariamente uma cobertura mano-a-mano e usam zona em situações específicas. Para parar a corrida, a defesa não varia muito os fronts. Usam fronts Over e Under dentro da sua base 4-3 e colocam a responsabilidade de parar o jogo corrido na penetração de seu DLs.

Nessa jogada, em um Front Over, não conseguem deter a corrida Sweep, apesar da penetração do LB #53 A.Hitchens.

 

O ataque

O ataque do Chiefs é baseado no casamento de conceitos tradicionais do West Coast com formações e conceitos relacionados ao Spread. Esse ataque ajudou a popularizar os RPOs na NFL, e foi o mais criativo na última década em termos de diversidade de esquemas.

Esse RPO acabou em uma corrida para algumas jardas.

 

O Chiefs perdeu Kareem Hunt e a produção terrestre baixou em relação a última temporada. Nada que pudesse ser compensando pelo resto de talento no ataque. O Chiefs pode se dar ao luxo de não se preocupar com a corrida desde que Mahomes, Kelce e Hill estejam em perfeita sintonia.

Mesmo assim, o time tem tido problemas por estar em situações de 3ª para muitas jardas, o que se acontecer no jogo pode ser um grande problema.

 

Chiefs no super bowl 54

Apesar de todos os esforços para a consolidação da defesa, o fato é que a escalação dela no papel é de nível mediano. A defesa do Chiefs simplesmente não é das mais talentosas. Dito isso, enfrentar de igual pra igual o jogo corrido do 49ers com a simplicidade de fronts que usa parece muito improvável.Uma atuação fora de série do DL Chris Jones é mais importamte que nunca. A defesa também terá que garantir duas coisas: Execução perfeita na redzone para forçar o 49ers a chutar FGs e também não deixar nenhuma jogada explosiva acontecer, além de não perder oportunidades em forçar turnovers. Essa basicamente foi a fórmula que fez o Titans superar o Ravens e isso vai dar a maior chance para o ataque pontuar e ganhar o jogo.

Já o ataque pode correr o risco de perder o ritmo do jogo rápido se perder drives por estar em 3ª para muitas jardas e devolver a bola para um ataque que controla a posse com jogo corrido. Por isso será muito importante engatar seu jogo de RPOs, Screens e passes curtos para manter os drives vivos. A partir daí, o céu é o limite para o trio Mahomes, Kelce e Hill. Um confronto chave será a DL do 49ers contra a OL do Chiefs, que determinará se Mahomes vai poder fazer o que sabe fora do pocket e dentro dele.

 

Como o 49ers chega no Super Bowl

O 49ers é um time que passou por 2 temporadas em construção depois de estar no fundo do poço organizacional. Vieram o HC Kyle Shanahan e o GM John Lynch e juntos conseguiram montar um dos ataques mais bem treinados do últimos tempos e uma defesa talentosa e sólida. E é simplimente isso. Não é um supertime, apenas um time jovem e extremamente sólido que superou técnicamente o resto da NFC.

A defesa

A defesa é mais uma versão do popularizado Cover 3 do Seahawks. Esse tipo de defesa busca prevenir qualquer grande ganho de jardas colocando 3 jogadores cobrindo o fundo do campo nessa cobertura base e usando variações pattern-match dela enquanto aposta no forte e agressivo jogo da linha defensiva, para não permitir que QBs tenham tempo de acharem passes nas janelas das zonas de cobertura, e na polivalência de seus LBs, que são vitais tanto contra o jogo corrido quanto contra o jogo aéreo.

Nessa jogada vemos com clareza a “tenda” feita na cobertura Cover 3, e os 4 defensores “Under” a frente. A cobertura força Rodgers a fazer o passe mais curto.

 

Com Arik Armstead e DeForest Buckner defendendo a corrida e Nick Bosa e Dee Ford no pass rush, a DL do 49ers é disruptiva. Fred Warner é o LB excelente em cobertura que o esquema precisa e a secundária tem Richard Sherman e jovens talentos como Jimmie Ward e Jaquiski Tartt.

Essa jogada mostra a força do pass rush de Nick Bosa e Deforest Buckner.

 

O ataque

O ataque de Shanahan tem o mesmo proceder básico que está virando moda na NFL: se mostra em uma formação de corrida e corre com a bola, de preferência em um esquema de zona Outside Zone. Então você mistura essas corridas com passes de playaction e joga bolas nas costas dos Linebackers sem piedade com conceitos de passe como Flood, Yankee e Hi-Lo.

Esse aqui é um exemplo do conceito de passe Yankee partido de playaction. O passe é feito nas costas do segundo nível (Linebackers).

 

Mas isso é uma explicação grosseira e simplificada comparada aos esquemas que Shanahan desenha. Pra se ter uma idéia, Shanahan sabe exatamente o que suas jogadas vão fazer contra os adversários.

Shanahan tem um ataque bem diferente do que o fez fama do Falcons em 2016, que era muito mais voltado ao passe. No 49ers, Shanahan diversificou os esquemas de jogo corrido e foi além dos esquemas de bloqueio zona, usando variações de Power, Counter e Trap e dificultando ainda mais para uma defesa lidar com a corrida e os passes de playaction ao mesmo tempo.

Contra o Vikings, foi usado um esquema de bloqueio Trap. Com o FB #44 alinhado como WR e depois trazido pro backfield, ele faz o Wham block (trap block feito por um TE ou FB) no DT, abrindo espaço pra corrida.

 

49ers no Super Bowl 54

A defesa do 49ers terá seu grande teste contra o ataque do Chiefs. Se se manter em suas coberturas Cover 3, poderá ser explorada por rotas verticais na Seam com Tyreek Hil, Travis Kelce e Mecole Hardman. Os Safeties Jimmie Ward e Jaquiski Tartt terão o desafio de marcar essas rotas verticais para prevenir avanços grandes. Também é grande a possibilidade do 49ers usar mais cobertura mano-a-mano e coberturas 2-deep como Cover 4 e Cover 6 que o habitual.

A grande chave para a defesa nesse jogo é sua linha defensiva. Nick Bosa e cia. tem que dominar a linha scrimmage e deixar Mahomes desconfortável. Se conseguirem a proeza, a chance de vitória é grande.

Já para o ataque, a chave é tentar repetir a produção terrestre da final da NFC. Shanahan provavelmente tem os esquemas certos para abusar do front do Chiefs. Se manterem o jogo de posse e não cometerem turnovers, vai ser difícil para o Chiefs ter a bola e pontuar com seu poderoso ataque aéreo. Caso o 49ers encontre fronts de 8-9 jogadores para parar o jogo corrido, eles também tem um bom matchup aéreo, com George Kittle e Deebo Samuel contra a secundária do Chiefs.

 

Um palpite para o Super Bowl 54

Pra mim o Super Bowl 54 será ganho por quem imprimir mais ritmo ofensivo. Vejo o 49ers com mais chances de conseguir isso. No início do jogo, o ataque do Chiefs terá dificuldades e anotará apenas FGs, enquanto o ataque do 49ers conseguirá alguns TDs. No segundo tempo Patrick Mahomes ensaiará um comeback, colocando o jogo parelho até o fim, mas um Drive final selará a vitória do 49ers.

49ers 34 x 28 Chiefs